FOLHA CULTURAL PATAXÓ

.

sábado, 4 de agosto de 2012

As asas da solidão roçam um coração

O ato de escrever ocorre por que dói...
Há pus, sangue, saliva e terra no vulcão,
que bombeiam o sentir.

sangue e vertigem, condensam o medo na madrugada;
desabototei o casaco da sanidade,
recai nas incógnitas temporais.

Seus olhos fecundaram meu caminho;
após seus lábios febris serpear os meus quadris.

2 comentários:

  1. Adorei o texto e o poema também.
    beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Escrever é uma forma de traduzir a vida que exite dentro de si.Parabéns.

    ResponderExcluir