FOLHA CULTURAL PATAXÓ

.

terça-feira, 8 de março de 2011

POEMAS DA JANELA




VAGO OLHAR DE MINHA MÃE

Beiral da janela
Pintura vazia na tela
Triste sem ela

JANELA

Janela pro mar
Interior de solidão
Aperto no coração

VENTO VAZIO

Olhar no vazio
Vento que te aquece
E você esquece

PRO SEU OLHAR

Crianças brincam
De frente pro seu olhar
Mas ali não está

CIGARRO

Olhar na janela
Cigarro encostado
Dia frustrado

SALA DECORADA

A fumaça que soltou
Esconde o olhar triste
Na sala decorada

Um comentário:

  1. janela janela minha
    si voce nao fosse abertar
    vc nao seria minha

    ResponderExcluir